, ,

O Significado Oculto de Kendrick Lamar e Rihanna "Loyalty"

quarta-feira, 16 de agosto de 2017 0 comentários

Assista à análise do vídeo de Kendrick Lamar feat. Rihanna "Loyalty".


Veja Mais 
A História Profunda do Álbum de Kendrick Lamar "To Pimp a Butterfly"
Mensagens Subliminares Justin Bieber "What Do You Mean?"


Modelos denunciam Práticas Sádicas no Mundo da Moda

domingo, 13 de agosto de 2017 0 comentários

Depois de anos de silêncio, as modelos estão falando contra o comportamento sádico de pessoas na indústria da moda, onde o abuso, a exploração e até mesmo a tortura são desenfreadas. E essa é apenas a ponta do iceberg.

Ensaios fotográficos de moda muitas vezes apresentam fotos onde o abuso e a violência são celebrados e até glamorizados. Esse abuso é, no entanto, não apenas feito para as câmeras - também acontece nos bastidores, de forma real. Na verdade, as fotos perturbadoras que são muitas vezes publicadas por grandes revistas são sintomáticas de uma indústria que é doentia até à raiz, com uma mentalidade que está empenhada na desumanização e na exploração humana.

Um artigo no Daily Mail detalhou relatos de pessoas dessa indústria que testemunharam ou foram submetidas a tratamento sádico.


"James Scully, agente de modelos de passarela e veterano da indústria, que trabalhou com os designers Stella McCartney e Tom Ford, criticou ferozmente Balenciaga em uma postagem chocante na rede social de compartilhamento de fotos Instagram, onde ele acusou os diretores da grife de tratar meninas como gado em um mercado de carne.

"Fiquei muito perturbado ao escutar de algumas garotas nesta manhã que... eles fizeram mais de 150 garotas ficarem esperando numa escada, disseram-lhes que teriam que ficar mais de três horas para serem vistas e não podiam sair", ele escreveu. "Como de costume, eles fecharam a porta, foram almoçar e desligaram as luzes para a escada, deixando todas as garotas com apenas as luzes de seus celulares para enxergar. Isso não foi apenas algo sádico e cruel quanto perigoso e deixou algumas das meninas com quem falei traumatizadas... Elas se recusam a serem tratadas como animais".

Scully acusou outra empresa de moda, que ele não deu nome, de tentar "se esgueirar" em modelos de 15 anos (a idade legal mínima é de 16) para o show, acrescentando: "Muitas dessas modelos estão abaixo da idade de 18 e claramente não estão aptas para estarem aqui". 

 Suas alegações chocaram o mundo da moda. 

– Daily Mail, Sadism on the catwalk: Locked in the dark for hours, starved and preyed on… here, models reveal the ugly truth behind fashion’s glittering façade


A modelo britânica e garota da capa Vogue, Edie Campbell, 26, explicou que esse tipo de tratamento é comum no mundo da moda.


"Isso provavelmente não é também o exemplo mais chocante que eu ouvi", disse ela. "Eu testemunhei muitas coisas perturbadoras. Eu vi meninas serem ditas para dar voltas correndo em torno do estúdio. O problema com a moda é que é uma indústria muito informal. Os limites são cruzados e permitem que as pessoas se comportem de maneiras que nunca seriam aceitas em qualquer outro ambiente de 'trabalho'. Visto que as meninas estão desesperadas pelo trabalho, elas são facilmente exploradas."

"É também um sistema fechado. Se você fala, você enfrenta a ameaça de nunca mais trabalhar. E é por isso que o que o James está fazendo é tão corajoso e deve ser aplaudido". 

- Ibid.


Outras modelos afirmam que o abuso sexual também é um grande problema na indústria... e que a indústria está cheia de modelos menores de idade.


"As principais modelos britânicas revelaram que sofrem regularmente tratamentos degradantes e humilhantes nas mãos de diretores, agências e fotógrafos de seleção.

Enquanto algumas relatam manipulação emocional e bullying, outras afirmam terem sofrido abusos físicos e até mesmo sexuais no trabalho.

Entre as histórias de horror estão a da modelo que teve o corpo desenhado com um marcador permanente para mostrar quais partes de seu corpo estavam "gordas"; a modelo que foi mandada correr em torno de um estúdio com salto alto até que entrou em colapso; as esperançosas ficaram em uma sala por dez horas sem comida ou água e as modelos que tiveram o cabelo cortado sem o consentimento delas.

Depois, há a história terrível da modelo que perdeu permanentemente a sensação nos dedos dos pés depois de ter sido colocada o resto do dia com sapatos que eram muito pequenos.

A modelo londrina Rosalie Nelson, de 25 anos, trabalha de modelo há seis anos e diz que ela perdeu a conta das vezes que sofreu abusos.

"Eu tive mechas de cabelo cortadas sem que perguntassem se ficaria bom", ela explica. "Eu fui perfurada com agulhas e alfinetes; minha pele foi cortada e puxada por clipes".

"Eu estive em audições em Londres, onde existem centenas de modelos e apenas algumas cadeiras fornecidas. Às vezes, há um distribuidor de água ou máquina de venda automática, mas muitas vezes não há nada.

"Estive em ensaios por até dez horas, onde nenhum alimento era fornecido. A mensagem subjacente é sempre a de que você não deve comer".

Uma das suas piores experiências veio em 2014 em uma grande agência de modelos do Reino Unido - que ela não vai dar nome - onde Rosalie foi informada que teria que perder peso se quisesse trabalhar.

"Fiz exatamente isso e perdi mais de dez quilos e dois centímetros de meus quadris", diz ela. "Quando eu voltei para ver essa agência, eles disseram que estava fazendo progresso, mas eles queriam que eu chegasse até o osso. Eu não poderia imaginar ficar mais magra. Senti-me fisicamente e emocionalmente exausta. Se eu fosse mais jovem e mais ingênua, eu poderia ter continuado em frente e causado mais danos a mim mesma".

Falando sob anonimato, outras modelos do Reino Unido afirmam ter sido presas em salas de audições numa ocasião por três horas; forçadas a trabalhar até que estivessem tão exaustas que desmaiaram e "humilhadas por causa da gordura" por agentes que se recusaram a chamá-las pelo nome.

Quando um grupo de modelos, fraco depois de várias horas sem comida ou água, ligou pedindo uma pizza no estúdio onde elas estavam fazendo uma audição, o diretor de elenco as chamou de "porcos" e as mandou para casa".

- Ibid.


A modelo Rosalie Nelson falou ainda mais sobre o comportamento abusivo dos fotógrafos.


Rosalie Nelson participou de uma sessão de fotos em seu estúdio de Londres em 2011, durante a qual o fotógrafo perguntou-lhe uma série de perguntas lascivas e cada vez mais pessoais.

"Ele veio em minha direção com a câmera repetidamente dizendo: 'você é vulnerável, você é muito vulnerável', até que ele estava bem perto de mim", lembra Roswell. "Eu continuei com o ensaio, pois ele não me tocou. Passamos para o ensaio de lingerie, onde ele repetidamente me empurrou antes de ficar na minha frente com a virilha na minha cara. Levantei e me vesti... quando saí do ensaio, me senti estasiada e abalada, e ele me forçou um abraço".

Trinta por cento das modelos relata terem sido tocadas de forma inadequada no trabalho, enquanto 28 por cento diz que foram pressionadas a ter relações sexuais com alguém no trabalho. Em nenhuma outra indústria, um comportamento como esse - e as histórias de terror dos bastidores - seria tão comum".

- Ibid.


O problema é que a indústria da moda não é um local de trabalho típico. É uma bolha social informal que é governada por pessoas ligadas à elite oculta. O filme "Demônio de Neon" (analisado neste artigo) revela como a mentalidade do mundo da moda tem raízes em seu submundo sombrio e oculto onde ocorrem abusos, controle mental, exploração infantil e rituais bizarros. O que foi "revelado" pelo artigo acima é apenas a ponta do iceberg. Isso é sintomático de um sistema doentio até à raiz.

Fonte: VC

Veja Mais

,

Selena Gomez "Fetish" é o Retrato da Doentia Cultura Pop

sábado, 5 de agosto de 2017 24 comentários

 No video "Fetish", Selena Gomez se machuca com todos os tipos de formas dolorosas e degradantes, ao mesmo tempo que exibe sintomas de graves problemas mentais. O vídeo é considerado "sexy". Algo está seriamente errado com a cultura pop.

Selena Gomez é um exemplo clássico de estrela infantil que conquistou milhões de jovens fãs e depois os introduz na cultura degradante, depravada e baseada na sexualização da indústria do entretenimento.

Depois de aparecer no programa de TV "Barney and Friends", Selena foi recrutada pelo Disney Channel para aparecer em "Hannah Montana" (estrelado por Miley Cyrus, outra ex-estrela da Disney que enlouqueceu). Selena recebeu então seu próprio show no Disney Channel, "Wizards of Waverly Place", que se tornou um grande sucesso e fez que Selena ganhasse milhões de fãs em todo o mundo.

Selena Gomez como Alex, a estrela de "Wizards of Waverly Place". 

Em 2014, Selena demitiu sua mãe e seu padrasto como seus assessores (eles assessoravam Selena desde que sua carreira começou) e assinaram com as empresas WME e Brillstein. Mais tarde naquele ano, Selena assinou com a Interscope Records. Assim como Miley Cyrus, Ariana Grande, Demi Lovato e inúmeras outras meninas criadas pela/na indústria (especialmente da Disney Network), Selena acabou lançando uma carreira solo que apresentou a seus jovens fãs uma Selena nova, e sexualizada, com conteúdo que está fortemente manchado pela agenda da elite.

Em 2016, Selena Gomez cancelou as restantes 34 datas de sua turnê mundial "Revival" para se internar em um centro de reabilitação por 3 meses para tratar "problemas de saúde mental não divulgados". Na indústria, a "reabilitação" é muitas vezes uma palavra-chave para "reprogramação".

13 Razões Porque Isso Não Está Certo 

Série "13 Porquês", da Netflix.

Pouco depois de sair da reabilitação, Selena Gomez serviu de produtora executiva da série de sucesso da Netflix, "13 Porquês". A série tem sido uma fonte de controvérsia constante devido à sua gráfica, alguns dizem glamorosa, representação de suicídio.


"Os especialistas em saúde mental descrevem o programa como preocupante e apontam para como seus personagens ​​e representação gráfica de suicídio podem representar um risco para a saúde dos jovens que já estão lutando com problemas de saúde mental".

– CNN, '13 Reasons Why’ tied to rise in suicide searches online


Um estudo recente revelou que a série estava relacionada a um aumento nas pesquisas na web sobre "como se suicidar".


"Após a estréia de "13 Porquês", a frase de pesquisa "como se suicidar" aumentou 26% acima do que normalmente seria esperado nesse momento. A "prevenção do suicídio" aumentou 23% e a "número do SOS suicida" subiram 21%, com base nos dados do documento. "O tempo para o debate retórico acabou", disse John Ayers, professor de pesquisa da Universidade Estadual de San Diego e principal autor do artigo. "Embora '13 Porquês' certamente tenha feito o debate começar - isso aumentou a conscientização, e nós vemos uma variedade de pesquisas relacionadas ao suicídio aumentar - nossos piores temores foram confirmados", disse ele. "Ou seja, milhares de pessoas estão pesquisando online sobre maneiras de se matarem". 

- Ibid.


Alguns pesquisadores também argumentam que a série pode ter um impacto negativo em alguns adolescentes com problemas de saúde mental já existentes.


"Olhando pelo ponto de vista da prevenção, é preocupante quando um jovem já tem um pré-histórico ou um problema de saúde mental existente como ansiedade, depressão e, para um grupo menor, doenças psicóticas", disse Schwartz, acrescentando que tais doenças são fatores de risco para comportamento suicida. "Se um jovem tiver uma história de problemas graves de saúde mental ou de substâncias, então, obviamente, isso acrescenta uma camada de vulnerabilidade ao consumir mídia sobre suicídio", disse ele. 

- Ibid.


Em suma, Selena Gomez está no comando de um programa que promove um fascínio insalubre pelo suicídio nas mentes dos jovens. Alguns argumentam que a série é para "aumentar a conscientização" sobre o suicídio, não glamorizá-lo. Se for esse o caso, por que a produtora executiva da série, Selena Gomez, aparece em um vídeo de música sexy onde ela se mutila? Isso não é glamorizar o suicídio? Aqueles que orientam e financiam a cultura pop parecem estar inclinados a degradar e desmoralizar a juventude. Como resultado, a cultura pop está deprimente, promove a autodestruição e ajuda a criar uma geração de humanos doentes, degradados e vulneráveis. 

Fetish

Em "Fetish", Selena aparece completamente "fora de si". Ela está usando drogas? Ela está mentalmente doente? Ela está sob controle mental? Ela está "possuída pelo diabo"? Tudo isso junto? Quem sabe. Uma coisa é certa, ela não está bem.

O vídeo começa com uma bela imagem de um céu de verão com pássaros cantando. De repente, esta imagem pisca na tela:

Um rápido flash do rosto de Selena. Algo não está certo, como se alguma 
coisa ruim estivesse acontecendo com ela. É uma cena típica de "flash 
rápido" que faz o cérebro ficar subconscientemente perturbado.

Em seguida, vemos Selena caminhando em direção a um carro destruído.

Essa cena é uma forma de simbolizar o próprio estado mental "destruído" de Selena? Porque, como podemos ver acima, ela não está bem.

Dentro da casa, Selena perambula em direção à cozinha, joga todas as compras que ela acabou de comprar no chão e começa a rolar sobre elas. Sim, algo não está certo com ela.

Por que você está no chão, Selena? Além disso,
 você quebrou os ovos que estavam perfeitos. 

Enquanto isso, Selena canta sobre ser a obsessão sexual de alguém - alguém que é muito forte. Temos a sensação de que ela não tem controle sobre a situação.


"Você tem um fetiche pelo meu amor
Eu empurro para fora e você vem logo de volta
Não vejo porque culpar você
Se eu fosse você, eu também faria comigo"


As últimas linhas, "Não vejo porque culpá-lo, Se eu fosse você, eu também faria comigo", é uma reminiscência da Síndrome de Estocolmo, onde um cativo simpatiza com seu raptor: 


"Sentimentos de confiança ou afeto sentidos em certos casos de sequestro por reféns e vítimas em relação a seu raptor".


Outro trecho da música refere-se ao mesmo conceito:


Não estou surpresa
Eu simpatizo, ah
Não posso negar
Seu apetite, ah


Durante o vídeo, Selena nunca canta a ninguém. Em vez disso, ela olha para o céu e aparentemente canta para o sol.

Selena gasta muito tempo cantando para o sol ardente. A sombra 
de sua mão esconde um olho - perfeitamente fazendo um sinal do "um olho"
 (o sinal que as estrelas pop fazem para exibir sua submissão à elite oculta).

Mais "um olho" em ação.

Será que a música é na verdade sobre a elite dominando sexualmente Selena Gomez? Porque ela não está cantando para uma pessoa, mas para o "olho no céu". Além disso, porque a maioria das estrelas estrelas Disney acabam sendo Beta Kittens (leia mais sobre isso aqui).

Enquanto Selena anda pela sala de jantar, há um quadro 
de um gatinho. Isso se refere à programação Beta Kitten?

Selena rasga suas meias com um olhar demente no rosto. Como de costume,
 Selena está vestida para se parecer uma menina "sexy" de 14 anos de idade.

Uma coisa certa é que esse "fetiche" parece estar levando Selena ao ponto de autodestruição. Aqui estão exemplos de auto-mutilação que ela inflige sobre si mesma. Tenha em mente que uma grande porcentagem de seus fãs a conhece do Disney Channel.

Ela tira um pedaço de vidro quebrado e o come. Em caso de 
você não saber, fazer isso dói muito e faz sua boca sangrar. 

Selena amarra sua língua com uma corda. Literalmente, sua 
"língua está amarrada". Além disso, trata-se de uma verdadeira
 técnica de tortura que dispara o reflexo de gag.

Selena suprime sua língua usando um encrespador de cílios. 
Ela não aparece gostar de sua língua. Ela, como muitos peões 
da indústria antes dela, perdeu a habilidade de falar?

Selena pega uma barra de sabão e come. Ela está fazendo
 isso porque ela se odeia? Ela está sendo mandada fazer isso? 
Por que você está comendo sabão, Selena?

Os comportamentos exibidos por Selena nesse vídeo são sintomas reais de depressão, baixa auto-estima, ódio a si mesmo e até tendências suicidas. Considerando as letras, também pode-se adicionar à lista o uso do sexo, até mesmo do sexo degradante, como forma de obter validação. Eu não sou um psicólogo e não estou prestes a dar um diagnóstico específico, mas posso dizer com segurança que nesse vídeo ela não está bem.

Esse é o tipo de porcaria que é transmitida como "entretenimento" hoje em dia. Músicas sobre estar de mãos dadas com o seu amor ou estar apaixonado? NÃO. Músicas sobre como ser usado como objeto sexual enquanto se tortura? SIM.

Enquanto isso, Selena continua se torturarando.

Selena, contorcendo-se dentro de uma freezer industrial, 
fazendo o melhor para obter hipotermia. Saia do chão, Selena!

Esta menina não está bem!

Conclusão

Infelizmente, "Fetish" é um produto típico da cultura pop de hoje. O vídeo é estranhamente deprimente, deixa os telespectadores com uma intuição de que eles testemunharam algo errado, e mistura conceitos de autodestruição com sexualidade... tudo embrulhado em um pacote "sexy" e comercializado para jovens que ainda estão aprendendo sobre o amor, sobre sexualidade e relações.

Selena Gomez também está diretamente envolvida com uma série que comercializa suicídio para jovens que ainda estão aprendendo sobre o que é a vida. Por que ela está associada a essa nojeira? Será que Selena é realmente a mente por trás de uma série que teve um impacto tão poderoso nos cérebros dos telespectadores, que até mesmo esteve cientificamente ligada a pesquisas na web sobre como se suicidar? Ou, talvez, ela é simplesmente um rosto "amigável para crianças" associado a esses projetos como uma forma de marketing para o público principal?

"Fetish" e "13 Porquês" são semelhantes de várias maneiras: são segmentos do "entretenimento" que são cuidadosamente criados para colocar as pessoas em um clima específico e fazê-las contemplar ideias específicas. Isso não é arte. É condicionamento mental.

A cultura pop é doentia porque ela é desenvolvida intencionalmente para criar uma geração doentia. As pessoas que no controle querem que o público esteja ansioso, confuso, deprimido e autodestrutivo. Por quê? Porque, isso torna esse público mais fácil de controlar. Qual é a melhor maneira de vender isso? Associe-o ao sexo e diga que é apenas um "fetiche".

Fonte: VC

Veja Mais

, ,

R. Kelly, um Mestre de Controle Mental, Sob Alegações de que mantinha Mulheres contra sua Vontade numa Seita

domingo, 23 de julho de 2017 10 comentários

Novas alegações afirmam que R. Kelly estava mantendo pelo menos seis mulheres (algumas menores) sob controle total em "casas de campo", negando-lhes contato com o mundo exterior. Seu ex-assistente descreve R. Kelly como um "mestre de controle mental e um mestre de marionetes".

O gosto de R. Kelly por meninas menores de idade vem fazendo manchetes há décadas. Em 1994, Kelly (que tinha 27 anos na época) casou-se com sua protegida Aaliyah, de 15 anos, para quem escreveu o álbum intitulado "Idade Não é Nada, Só Um Número". O certificado de casamento listava Aaliyah com 18 anos de idade. Em fevereiro de 1995, o casamento ilegal foi anulado pelos pais de Aaliyah. Até a morte prematura aos 22 anos devido a um acidente de avião, Aaliyah nunca falou sobre R. Kelly. O porta-voz afirmou:


"Quando R. Kelly aparece, ela nem fala seu nome, e ninguém tem permissão para perguntar sobre isso".


Em 2002, Kelly foi indiciado por pedofilia depois de o surgimento de um vídeo que alegadamente mostrava Kelly tendo relações sexuais e urinando em uma garota menor. Apesar desse fato, R. Kelly foi absolvido em 2008.

Ao longo dos anos, Kelly sofreu um monte de processos que o acusava de abusar de sua posição de fama e influência para buscar relações sexuais ilegais com menores de idade. Como um acordo, Kelly frequentemente oferecia pagamentos em dinheiro sob a condição de que as meninas assinassem um acordo de não divulgação.

No entanto, as controvérsias envolvendo R. Kelly e as meninas estão longe de terminar. Um artigo do Buzzfeed News indica que o cantor nunca deixou de correr atrás de garotas mais novas. Pior ainda, ele parece ter estabelecido um sistema de controle que parece uma "seita", onde mulheres jovens são atraídas para sua comitiva com promessas de serem "mentoradas" por ele, para acabarem vivendo em uma de suas casas e o "servindo" regularmente.

As testemunhas usam termos como "controle mental" e "lavagem cerebral" para descrever o controle de R. Kelly sobre essas garotas. Será que R. Kelly é um manipulador de controle mental real? Quando se analisa os vários métodos de controle mental, físico e sexual utilizados nessas meninas, o mínimo que podemos dizer é que ele sabe muita coisa sobre o controle mental.

Um "Mestre de Controle Mental"

De acordo com três ex-membros da comitiva de Kelly, várias mulheres vivem em suas "casas de campo", onde cada aspecto de suas vidas é fortemente controlado pelo cantor.


"Três ex-membros do círculo interno de Kelly - Cheryl Mack, Kitti Jones e Asante McGee - forneceram detalhes que apoiaram os piores medos dos pais. Eles disseram que seis mulheres vivem em propriedades alugadas por Kelly em Chicago e nos subúrbios de Atlanta, e ele controla todos os aspectos de suas vidas: ditando o que elas comem, como se vestem, quando se banham, quando dormem e como se envolvem em encontros sexuais que ele registra." 

– Buzzfeed News, R. Kelly Is Holding Women Against Their Will In A “Cult,” Parents Told Police


Em muitos casos, meninas jovens são apresentadas a R. Kelly pelos seus próprios pais que procuram ajudar a lançar a carreira de sua filha. Depois de Kelly se comprometer a orientar as meninas e ensiná-las sobre a indústria da música, elas acabam sendo completamente excluídas do mundo exterior.

"Casas de campo" de R. Kelly em Atlanta.

O artigo entrevistou o pai de uma menina que viveu em uma casa de R. Kelly por meses.


"Era como se ela tivesse lavado o cérebro. [Ela] parecia uma prisioneira - era horrível", disse ela. "Eu a abracei e abracei-a. Mas ela continuou dizendo que estava apaixonada e [Kelly] é quem cuidava dela. Não sei o que fazer. Espero que, se eu a recuperar, posso obter o tratamento para vítimas de seitas. Eles podem reprogramá-la. Mas eu queria ter impedido que isso acontecesse". 

- Ibid.


Observe que o pai usa palavras como "lavagem cerebral" e "reprogramação".

Cheryl Mack, um ex-assistente de R. Kelly afirmou:


"As mulheres na comitiva de Kelly pensam inicialmente: esse é o R. Kelly, vou viver um estilo de vida luxuoso. Não. Você vai precisar pedir por comida. Você vai precisar pedir para usar o banheiro... [Kelly] é um mestre no controle mental... Ele é um mestre de marionetes". 

- Ibid.


Entre as mulheres que vivem nas casas de R. Kelly há uma "líder" de 31 anos que "treina" os recém-chegados sobre como Kelly gostaria de ser satisfeito sexualmente. Na programação da Monarca, os escravos MK estão frequentemente em contato com uma "Grand Dame", uma "figura mãe" que auxilia o manipulador na programação.

Os relatos de testemunhas descrevem outros detalhes que são uma reminiscência de um relacionamento manipulador-escravo.


"Mack, Jones e McGee afirmam que as mulheres que vivem com Kelly, que ele chama de suas "bebês", são obrigadas a chamá-lo de "Papai" e devem pedir sua permissão para deixar o estúdio de gravação de Chicago ou os quartos atribuídos na "casa" que Kelly aluga perto de sua própria mansão alugada no subúrbio de Atlanta. Uma SUV preta com um motorista robusto atrás do volante quase sempre está estacionado fora de ambos os locais. Kelly confisca os telefones celulares das mulheres, disseram eles, para que não possam entrar em contato com seus amigos e familiares; ele lhes dá novos telefones que elas só podem usar para contatá-lo ou outros com sua permissão. Kelly filma suas atividades sexuais, disseram McGee e Jones, e mostra os vídeos aos homens de seu círculo".

Se as mulheres quebram alguma das "regras" de Kelly, Mack e Jones disseram, ele as castiga fisicamente e verbalmente. Por exemplo, Jones afirmou que Kelly a segurou contra uma árvore e a bateu do lado de fora de uma loja do Subway na primavera de 2013 porque ela tinha sido muito amigável com o caixa lá. McGee disse que nunca viu Kelly bater em ninguém, mas também disse que estava dirigindo uma "seita" e a manipulava emocionalmente e sexualmente. 

"R. Kelly é a pessoa mais doce que você possa conhecer", disse McGee. "Mas Robert é o diabo". 

- Ibid.


A última frase é bastante reveladora. Os manipuladores MK frequentemente se apresentam como "o próprio diabo" aos escravos para traumatizá-los.

Asante McGhee, que fazia parte de seu círculo interno, lembra o relacionamento de R. Kelly com uma garota de 17 anos da Flórida.


"Eu também tenho uma filha de 17 anos", disse ela. "Quando vi [a cantora da Flórida] com ele, isso me fez pensar. Essa poderia ser minha filha. Eu só sabia que não estava certo e simplesmente não conseguia entender porque um homem com quase 50 anos faz sexo com alguém da mesma idade que sua filha. Foi quando percebi que era mais uma coisa de controle mental."

McGee também disse que ela testemunhou Kelly punindo a aspirante cantora da Flórida por quebrar suas "regras".

"Ele deixou [a menina da Flórida] no ônibus [turnê] por, tipo, três dias e ela não tinha permissão para sair", disse McGee. "Ele disse que ela não fez sua lição de casa - é por isso que ela foi punida - o que era muito confuso, porque ela tinha acabado de se formar no ensino médio durante o verão".

- Ibid.


Apesar de os pais dizerem à polícia que suas filhas estão "sendo mantidas contra sua vontade" no que eles chamam de "seita", a lei não pode tomar medidas porque as meninas não são tecnicamente "pessoas desaparecidas" e são maiores de idade.

Parece que, apesar do claro padrão de manipulação de R. Kelly sobre meninas menores de idade, ele continua recebendo uma passagem gratuita da lei. Será que é porque ele está envolvido no mesmo lixo que a elite oculta se envolve a portas fechadas?

Fonte: VC

Veja Mais
"Controle Mental MK-ULTRA domina Hollywood", diz Atriz Americana Roseanne Barr
Lauryn Hill é ordenada pelo Tribunal a passar por "Aconselhamento" devido a suas "Teorias da Conspiração"


,

O Significado Oculto de Kesha "Praying"

quarta-feira, 19 de julho de 2017 9 comentários

Kesha está de volta com seu novo single "Praying". Seu novo vídeo traz referências ao controle mental MK novamente. Kesha já foi citada em vários artigos deste blog como um dos maiores exemplos de como a indústria escraviza e manipula seus artistas. Nos últimos anos, ela travou uma batalha judicial contra Dr. Luke, um dos maiores nomes da indústria do entretenimento acusando-o de abuso sexual, físico e psicológico. Mesmo assim, Kesha perdeu a ação e se viu obrigada a continuar o contrato com seu abusador. Embora "Praying" pareça ser sobre Kesha quebrar seu controle e buscar refúgio em Deus para se livrar dessa indústria imunda, ela está na verdade sendo levada a novos estágios da programação monarca para ser reprogramada.

Assista ao vídeo:


Veja Mais
O que está acontecendo com Kesha?
Show de Ke$ha Infestado de Simbolismo Illuminati


Imagens Simbólicas (maio & junho/17)

quarta-feira, 5 de julho de 2017 17 comentários

 Katy Perry está de volta com um novo álbum, e o simbolismo não poderia 
estar mais explícito. Nesta foto, ela segura um globo ocular representando o 
sistema da elite oculta e a obsessão com o "olho que tudo vê". Muitos vão dizer:
"Ah, mas o conceito do álbum é de testemunhar, observar..." Sim, claro, vários
 artistas demonstram a mesma obsessão com o olho e sempre existe uma outra 
história que é contada como desculpa, mas o simbolismo é sempre o mesmo.

Esta é a capa do álbum que mostra Katy Perry com as mãos nos
 olhos e um olho na boca: ela não consegue enxergar...apenas fala por meio 
do "olho que tudo vê" da elite. Uma escrava total. Suas aparições recentes
 estão repletas do mesmo simbolismo: aguarde um artigo ou um vídeo 
mais detalhado sobre a cantora.

 Ed Sheeran na revista Clash fazendo alusão ao
 "um olho", mas talvez essa foto seja apenas uma 
coincidência, ele nunca se envolveria nessas coisas...

 Opa! De novo? Mas talvez não seja intencional!

Desisto! 

Shania Twain está de volta depois de um longo hiato e 
já teve que se vestir como uma sex-kitten (estampa felina)... uma das
 exigências para as cantoras atualmente. Não vejo nada country 
nesta capa de álbum.

Shania Twain já fazia isso antigamente. Este é um print 
do vídeo "That Don't Impress Me Much", dos anos 90.

No vídeo "Man!I Feel Like A Woman" ela esconde um olho o
  tempo todo. Além disso, ela alterna entre um casaco preto e branco.

Quadriculado preto e branco no
 cenário de seu show em Las Vegas.

Iggy Azalea e Anitta vestidas com estampas felinas e, pra deixar a coisa
 mais óbvia, com felinos aparentemente reais ao redor. Não acho coincidência
 a indústria sempre representar essas cantoras como um "gatinho".

Show de Demi Lovato no Villa Mix em 
Goiânia. Olho de Hórus por todo lado.

 Capa do álbum "Higher Truth" de 2015 de Chris Cornell; o sol no topo
 da montanha é um simbolismo clássico de escolas de mistérios. Em maio,
 Chris Cornell foi encontrado morto em um hotel em Detroit; aquela 
mesma história de sempre que você já conhece.

A capa do single de Camila Cabello também faz alusão ao "um olho".
Ela está gradualmente entrando no mundo sombrio da indústria.


Pôster promocional do show solo da cantora coreana Taeyeon mostra
 espelhos fragmentados, que geralmente representam a fragmentação 
da psique para criação de novas personalidades. E advinha qual 
é o nome dessa turnê? "...Persona!"


Taeyeon adora fazer o sinal do "um olho".


 Como tradição, as mesmas revistas têm sempre o 
dever de lançar uma capa fazendo alusão ao "um olho".

Revista Elle Dinamarca. 

 Revista Bazaar Australia.


Revista Bazaar Turquia: mesma revista, mesmo simbolismo.


Imagem do discurso de vitória de Macron com a pirâmide do 
Louvre atrás, com o topo aceso. Isso lembra o quê??? Não importa
 que lado vença a eleição, a elite oculta está sempre por trás.

Vídeos para Meninas Pré-Adolescentes no Youtube: Um Prato Cheio Para os Pervertidos

segunda-feira, 3 de julho de 2017 15 comentários

O canal do YouTube "SevenSuperGirls" apresenta meninas pré-adolescentes fazendo coisas estranhas. Também, ele parece ser personalizado para pedófilos. Pior ainda, o canal está recrutando jovens na Internet.

No artigo intitulado Vídeos Infantis no YouTube: Há Alguma Coisa Muito Errada, descrevi as inúmeras formas pelas quais os vídeos destinados a crianças são tóxicos e perturbadores. Infelizmente, essa foi apenas a ponta do iceberg... e esse iceberg é mais profundo... e cheira mal.

Um segmento do programa de comédia Tosh.0 expôs um canal do YouTube chamado "SevenSuperGirls", que contém milhares de vídeos com meninas que fazem coisas "fofas". Em seu segmento, Tosh.0 afirma achar ter encontrado "algo obscuro" e, ao mesmo tempo, acrescentou que aqueles que assistem a esse canal deveriam "colocar suas calças e se reportar ao FBI".

Piadas à parte, há evidentemente algo obscuro sobre esse canal - não só devido aos seus conteúdos, mas devido a como ele tenta recrutar novas meninas, solicitando gravações. Não é preciso muita imaginação para ver como as coisas podem ter um final horrível para as meninas envolvidas. Especialmente quando alguém entende o sistema por trás do canal.

Seven Super Girls

"SevenSuperGirls" parece ser um canal de "tweens" destinado a pré-adolescentes que desejam ver meninas da mesma idade fazendo coisas aleatórias. No entanto, é difícil NÃO ver o apelo que os vídeos podem ter para os adultos que desejam espiar menores de idade de forma legal.

A descrição do canal fala que é a "maior colaboração de meninas menores de 18 anos no YouTube". Aqui está uma captura de tela da descrição do canal. Como você pode ver, o canal possui cerca de 7 milhões de inscritos e mais de 7 bilhões de visualizações. Isso é muito.


Esta descrição é estranhamente semelhante a algo 
que alguém encontraria em um site para adultos.

Como o nome do canal implica, "SevenSuperGirls" é composto por sete meninas que têm cada uma sub-canais nos quais elas postam vídeos. Na maioria desses vídeos, as meninas agem de forma excessivamente infantil ou malcriada, enquanto usam roupas evocativas. Um número ridículo desses vídeos apresenta as meninas - que têm idade entre 8 e 12 anos - usando biquínis e estampas felinas. Por quê? Isso é necessário para captar a atenção das jovens? Não, mas é necessário para capturar a atenção de pervertidos.

Embora eu me sinta desconfortável publicando prints desses "vídeos" aqui, eles são necessários para ilustrar como o canal, obviamente, atende a fetiches específicos de "adultos". Para encontrar esses prints, não foi necessário assistir a centenas de vídeos para ver coisas absurdas. Simplesmente assisti a alguns dos vídeos mais vistos no canal e capturei toneladas de imagens em questão de minutos. Em outras palavras, este artigo poderia ter sido muito mais longo e preenchido com centenas de prints, cada um mais perturbador do que o outro.

Para iniciantes, aqui está um print do vídeo mais visto no canal. Tem 138 milhões de visualizações - um número que rivaliza com vídeos de música de estrelas pop internacionais. Possui dança e música cativante? Não. Ele apresenta isto:

Uma menina vestindo uma roupa infantil e uma
 tiara, enquanto lambe uma torta de creme. Sim.

Aqui estão prints de outros vídeos.

O vídeo #2 mais visualizado apresenta uma garota 
amarrada a uma cama com fita adesiva. Sim.

Outro vídeo bastante visto apresenta uma menina 
vestida como uma sereia em torno de uma piscina.

O artigo anterior também continha um print de garotas vestindo fantasia de sereia. Será que existe um mercado secreto de fetiche para meninas menores de idade nesses trajes? Espero que não.

Outro vídeo apresenta 6 "super girls" com a 
parte de cima de um biquíni e fantasia de sereia.

Este vídeo apresenta uma garota de biquíni nadando durante 
5 minutos. Quem se senta lá pra observar isso? Você sabe quem.

Em outro vídeo, duas garotas lambuzam o rosto com batom,
 colocam saltos altos de leopardo e fazem um desfile de moda
 para... aqueles que observam esse tipo de coisa.

Isso... não está certo.

Aqui, a menina pede aos espectadores que votem no biquíni que
 ela deveria usar no vídeo seguinte. Quantos marmanjos votaram? 

Quem cria esses cenários? Será que os pais dessas garotas não os acham extremamente inapropriados?

Recrutando Meninas

No vídeo How to Get on SevenSuperGirls!, as meninas explicam como o processo de recrutamento funciona. É um processo rígido e específico.

De fato, as meninas que querem fazer parte do SevenSuperGirls devem primeiro se candidatar a um dos canais irmãos que fazem parte de uma entidade maior chamada Canais SAKs. Os canais irmãos são SevenGymnasticsGirls, SevenPerfectAngels, SevenAwesomeKids, SevenFabulousTeens, SevenFuntasticGirls, SevenCoolTweens, SevenTwinklingTweens e SevenEpicDancers. Esses canais estão cheios de centenas de vídeos semelhantes aos encontrados em SevenSuperGirls.

Isto é de um dos canais irmãos. Meninas menores
 de idade sendo amarradas com fitas adesivas.

Em outro vídeo, esta menina mancha seu rosto com fezes e então é 
colocada no banho. Isso provavelmente excita quem gosta de amadores.

Então, os SAKs criaram um sistema que obtém gravações de meninas, para recrutar as mais promissoras e selecionar aquelas que têm "o que é necessário" para entrar no "SevenSuperGirls". Isso é uma coisa arquitetada para fazer as jovens ficarem envolvidas. O vídeo de recrutamento também afirma:


"Cuidado com os canais fakes do SAKs. Há centenas deles."


Que tipo de pessoa criaria canais fakes para enganar as jovens que querem enviar as gravações? Você sabe exatamente quem.

Uma coisa é certa, para as gravações serem aceitas pelos SAKs, são necessárias orientações rigorosas. O vídeo SAKs Guide to Auditions detalha esses requisitos (embora eu não assista a introdução desse vídeo em público).

Aqui estão alguns dos requisitos: as meninas não podem esconder seus rostos; elas devem incluir a cabeça e o ombro, imagem de meio corpo e de corpo inteiro; elas devem "incluir alguma ação" (ou seja, dançar ou nadar). Uma garota no vídeo guia até mesmo diz:


"Pense em como você parece. Tente procurar o seu melhor".


Por quê?? Aqui está outro requisito publicado na página do canal:


"Se você está fazendo uma audição para a SevenGymnasticsGirls, tente usar uma estampa de leopardo. Lembre-se de que eles precisam de ginastas reais".


Os pais das jovens deveriam se recusar a enviar vídeos de seus filhos usando estampas assim para estranhos na internet. Talvez seja eu o antiquado.

Mais do que Apenas Um Canal do YouTube

Um artigo do NY Times sobre os SAKs explica como uma das meninas acabou assinando com a Nickelodeon. Ele também esclarece algo sobre a empresa.


"Os canais SAKs, como são conhecidos, foram iniciados em 2008 por sete famílias na Grã-Bretanha que, nos primeiros dias do YouTube, queriam garantir que seus filhos estivessem fazendo conteúdos apropriados para a família. O único pai restante dessa parceria original é Ian Rylett, que atualmente é responsável pela operação da SAK.

O Sr. Rylett, que mora em Leeds, disse que produzir os canais era essencialmente seu trabalho o tempo inteiro. Ele e uma equipe de seis outros cuidam de questões de direitos autorais, criam acordos de patrocínio, apresentam temas semanais, monitoram os canais e organizam reuniões e cumprimentos. Os bilhetes para um evento de 1000 lugares que estão chegando em Orlando, Flórida, estão sendo vendidos por US$30 cada.

O Sr. Rylett recebe renda dos canais, assim como algumas das meninas. As meninas são donas de seu próprio conteúdo, disse ele, mas não assinaram contratos". 

– NY Times, With Hair Bows and Chores, YouTube Youth Take On Mean Girls


Embora, em 2008, o objetivo fosse (segundo declarações) produzir "conteúdo apropriado para a família", o objetivo provavelmente mudou uma vez que 6 das 7 famílias envolvidas nos SAKs desistiram. O canal agora parece estar bancando a linha fina entre "apropriado para a família" e "doce aos olhos de pervertidos". Além disso, os SAKs também geram muita receita com eventos na "vida real".

Vários vídeos no canal promovem próximos encontros "meet and 
greet" onde os fãs conhecem as Seven Super Girls. Quem viajaria
 para a Califórnia para conhecer essas meninas? Você sabe quem.

Em um sketch de comédia do Tosh.0, Tosh vai para um desses eventos enquanto chama o show de "Pegar um Predador". Um cara mais velho vem e Tosh pede ao cara que se assente. O sketch implica que esses eventos estão cheios de pervertidos. Ele provavelmente está certo.

Conclusão

Embora o canal "SevenSuperGirls" pareça ser dirigido a meninas, não é preciso muita imaginação para ver a quem mais ele se destina. Vários vídeos parecem atender a fetiches específicos "adultos" e, a julgar por alguns dos comentários assustadores deixados pelos espectadores, muitos deles realmente AMAM esses vídeos.

Enquanto isso, as jovens que procuram ser a próxima SevenSuperGirl são informadas de que tem que enviar vídeos delas "em ação", incluir imagens de "meio corpo" e "corpo inteiro" e dar o seu melhor. Esses vídeos acabam nas mãos de quem-sabe-quem e as meninas que são recrutadas com sucesso podem acabar quem-sabe-onde. Em suma, o "SevenSuperGirls" é mais um exemplo de um canal "saudável" do YouTube que é realmente um portal para um submundo escuro e explorador.

Fonte: VC

Veja Mais
deos Infantis no YouTube: Há Alguma Coisa Muito Errada
Ataque Terrorista em Manchester: Comovendo os Jovens a aderir à Agenda da Elite Oculta