, ,

O Significado Oculto de Kendrick Lamar e Rihanna "Loyalty"

quarta-feira, 16 de agosto de 2017 2 comentários

Assista à análise do vídeo de Kendrick Lamar feat. Rihanna "Loyalty".


Veja Mais 
A História Profunda do Álbum de Kendrick Lamar "To Pimp a Butterfly"
Mensagens Subliminares Justin Bieber "What Do You Mean?"


Modelos denunciam Práticas Sádicas no Mundo da Moda

domingo, 13 de agosto de 2017 4 comentários

Depois de anos de silêncio, as modelos estão falando contra o comportamento sádico de pessoas na indústria da moda, onde o abuso, a exploração e até mesmo a tortura são desenfreadas. E essa é apenas a ponta do iceberg.

Ensaios fotográficos de moda muitas vezes apresentam fotos onde o abuso e a violência são celebrados e até glamorizados. Esse abuso é, no entanto, não apenas feito para as câmeras - também acontece nos bastidores, de forma real. Na verdade, as fotos perturbadoras que são muitas vezes publicadas por grandes revistas são sintomáticas de uma indústria que é doentia até à raiz, com uma mentalidade que está empenhada na desumanização e na exploração humana.

Um artigo no Daily Mail detalhou relatos de pessoas dessa indústria que testemunharam ou foram submetidas a tratamento sádico.


"James Scully, agente de modelos de passarela e veterano da indústria, que trabalhou com os designers Stella McCartney e Tom Ford, criticou ferozmente Balenciaga em uma postagem chocante na rede social de compartilhamento de fotos Instagram, onde ele acusou os diretores da grife de tratar meninas como gado em um mercado de carne.

"Fiquei muito perturbado ao escutar de algumas garotas nesta manhã que... eles fizeram mais de 150 garotas ficarem esperando numa escada, disseram-lhes que teriam que ficar mais de três horas para serem vistas e não podiam sair", ele escreveu. "Como de costume, eles fecharam a porta, foram almoçar e desligaram as luzes para a escada, deixando todas as garotas com apenas as luzes de seus celulares para enxergar. Isso não foi apenas algo sádico e cruel quanto perigoso e deixou algumas das meninas com quem falei traumatizadas... Elas se recusam a serem tratadas como animais".

Scully acusou outra empresa de moda, que ele não deu nome, de tentar "se esgueirar" em modelos de 15 anos (a idade legal mínima é de 16) para o show, acrescentando: "Muitas dessas modelos estão abaixo da idade de 18 e claramente não estão aptas para estarem aqui". 

 Suas alegações chocaram o mundo da moda. 

– Daily Mail, Sadism on the catwalk: Locked in the dark for hours, starved and preyed on… here, models reveal the ugly truth behind fashion’s glittering façade


A modelo britânica e garota da capa Vogue, Edie Campbell, 26, explicou que esse tipo de tratamento é comum no mundo da moda.


"Isso provavelmente não é também o exemplo mais chocante que eu ouvi", disse ela. "Eu testemunhei muitas coisas perturbadoras. Eu vi meninas serem ditas para dar voltas correndo em torno do estúdio. O problema com a moda é que é uma indústria muito informal. Os limites são cruzados e permitem que as pessoas se comportem de maneiras que nunca seriam aceitas em qualquer outro ambiente de 'trabalho'. Visto que as meninas estão desesperadas pelo trabalho, elas são facilmente exploradas."

"É também um sistema fechado. Se você fala, você enfrenta a ameaça de nunca mais trabalhar. E é por isso que o que o James está fazendo é tão corajoso e deve ser aplaudido". 

- Ibid.


Outras modelos afirmam que o abuso sexual também é um grande problema na indústria... e que a indústria está cheia de modelos menores de idade.


"As principais modelos britânicas revelaram que sofrem regularmente tratamentos degradantes e humilhantes nas mãos de diretores, agências e fotógrafos de seleção.

Enquanto algumas relatam manipulação emocional e bullying, outras afirmam terem sofrido abusos físicos e até mesmo sexuais no trabalho.

Entre as histórias de horror estão a da modelo que teve o corpo desenhado com um marcador permanente para mostrar quais partes de seu corpo estavam "gordas"; a modelo que foi mandada correr em torno de um estúdio com salto alto até que entrou em colapso; as esperançosas ficaram em uma sala por dez horas sem comida ou água e as modelos que tiveram o cabelo cortado sem o consentimento delas.

Depois, há a história terrível da modelo que perdeu permanentemente a sensação nos dedos dos pés depois de ter sido colocada o resto do dia com sapatos que eram muito pequenos.

A modelo londrina Rosalie Nelson, de 25 anos, trabalha de modelo há seis anos e diz que ela perdeu a conta das vezes que sofreu abusos.

"Eu tive mechas de cabelo cortadas sem que perguntassem se ficaria bom", ela explica. "Eu fui perfurada com agulhas e alfinetes; minha pele foi cortada e puxada por clipes".

"Eu estive em audições em Londres, onde existem centenas de modelos e apenas algumas cadeiras fornecidas. Às vezes, há um distribuidor de água ou máquina de venda automática, mas muitas vezes não há nada.

"Estive em ensaios por até dez horas, onde nenhum alimento era fornecido. A mensagem subjacente é sempre a de que você não deve comer".

Uma das suas piores experiências veio em 2014 em uma grande agência de modelos do Reino Unido - que ela não vai dar nome - onde Rosalie foi informada que teria que perder peso se quisesse trabalhar.

"Fiz exatamente isso e perdi mais de dez quilos e dois centímetros de meus quadris", diz ela. "Quando eu voltei para ver essa agência, eles disseram que estava fazendo progresso, mas eles queriam que eu chegasse até o osso. Eu não poderia imaginar ficar mais magra. Senti-me fisicamente e emocionalmente exausta. Se eu fosse mais jovem e mais ingênua, eu poderia ter continuado em frente e causado mais danos a mim mesma".

Falando sob anonimato, outras modelos do Reino Unido afirmam ter sido presas em salas de audições numa ocasião por três horas; forçadas a trabalhar até que estivessem tão exaustas que desmaiaram e "humilhadas por causa da gordura" por agentes que se recusaram a chamá-las pelo nome.

Quando um grupo de modelos, fraco depois de várias horas sem comida ou água, ligou pedindo uma pizza no estúdio onde elas estavam fazendo uma audição, o diretor de elenco as chamou de "porcos" e as mandou para casa".

- Ibid.


A modelo Rosalie Nelson falou ainda mais sobre o comportamento abusivo dos fotógrafos.


Rosalie Nelson participou de uma sessão de fotos em seu estúdio de Londres em 2011, durante a qual o fotógrafo perguntou-lhe uma série de perguntas lascivas e cada vez mais pessoais.

"Ele veio em minha direção com a câmera repetidamente dizendo: 'você é vulnerável, você é muito vulnerável', até que ele estava bem perto de mim", lembra Roswell. "Eu continuei com o ensaio, pois ele não me tocou. Passamos para o ensaio de lingerie, onde ele repetidamente me empurrou antes de ficar na minha frente com a virilha na minha cara. Levantei e me vesti... quando saí do ensaio, me senti estasiada e abalada, e ele me forçou um abraço".

Trinta por cento das modelos relata terem sido tocadas de forma inadequada no trabalho, enquanto 28 por cento diz que foram pressionadas a ter relações sexuais com alguém no trabalho. Em nenhuma outra indústria, um comportamento como esse - e as histórias de terror dos bastidores - seria tão comum".

- Ibid.


O problema é que a indústria da moda não é um local de trabalho típico. É uma bolha social informal que é governada por pessoas ligadas à elite oculta. O filme "Demônio de Neon" (analisado neste artigo) revela como a mentalidade do mundo da moda tem raízes em seu submundo sombrio e oculto onde ocorrem abusos, controle mental, exploração infantil e rituais bizarros. O que foi "revelado" pelo artigo acima é apenas a ponta do iceberg. Isso é sintomático de um sistema doentio até à raiz.

Fonte: VC

Veja Mais

,

Selena Gomez "Fetish" é o Retrato da Doentia Cultura Pop

sábado, 5 de agosto de 2017 28 comentários

 No video "Fetish", Selena Gomez se machuca com todos os tipos de formas dolorosas e degradantes, ao mesmo tempo que exibe sintomas de graves problemas mentais. O vídeo é considerado "sexy". Algo está seriamente errado com a cultura pop.

Selena Gomez é um exemplo clássico de estrela infantil que conquistou milhões de jovens fãs e depois os introduz na cultura degradante, depravada e baseada na sexualização da indústria do entretenimento.

Depois de aparecer no programa de TV "Barney and Friends", Selena foi recrutada pelo Disney Channel para aparecer em "Hannah Montana" (estrelado por Miley Cyrus, outra ex-estrela da Disney que enlouqueceu). Selena recebeu então seu próprio show no Disney Channel, "Wizards of Waverly Place", que se tornou um grande sucesso e fez que Selena ganhasse milhões de fãs em todo o mundo.

Selena Gomez como Alex, a estrela de "Wizards of Waverly Place". 

Em 2014, Selena demitiu sua mãe e seu padrasto como seus assessores (eles assessoravam Selena desde que sua carreira começou) e assinaram com as empresas WME e Brillstein. Mais tarde naquele ano, Selena assinou com a Interscope Records. Assim como Miley Cyrus, Ariana Grande, Demi Lovato e inúmeras outras meninas criadas pela/na indústria (especialmente da Disney Network), Selena acabou lançando uma carreira solo que apresentou a seus jovens fãs uma Selena nova, e sexualizada, com conteúdo que está fortemente manchado pela agenda da elite.

Em 2016, Selena Gomez cancelou as restantes 34 datas de sua turnê mundial "Revival" para se internar em um centro de reabilitação por 3 meses para tratar "problemas de saúde mental não divulgados". Na indústria, a "reabilitação" é muitas vezes uma palavra-chave para "reprogramação".

13 Razões Porque Isso Não Está Certo 

Série "13 Porquês", da Netflix.

Pouco depois de sair da reabilitação, Selena Gomez serviu de produtora executiva da série de sucesso da Netflix, "13 Porquês". A série tem sido uma fonte de controvérsia constante devido à sua gráfica, alguns dizem glamorosa, representação de suicídio.


"Os especialistas em saúde mental descrevem o programa como preocupante e apontam para como seus personagens ​​e representação gráfica de suicídio podem representar um risco para a saúde dos jovens que já estão lutando com problemas de saúde mental".

– CNN, '13 Reasons Why’ tied to rise in suicide searches online


Um estudo recente revelou que a série estava relacionada a um aumento nas pesquisas na web sobre "como se suicidar".


"Após a estréia de "13 Porquês", a frase de pesquisa "como se suicidar" aumentou 26% acima do que normalmente seria esperado nesse momento. A "prevenção do suicídio" aumentou 23% e a "número do SOS suicida" subiram 21%, com base nos dados do documento. "O tempo para o debate retórico acabou", disse John Ayers, professor de pesquisa da Universidade Estadual de San Diego e principal autor do artigo. "Embora '13 Porquês' certamente tenha feito o debate começar - isso aumentou a conscientização, e nós vemos uma variedade de pesquisas relacionadas ao suicídio aumentar - nossos piores temores foram confirmados", disse ele. "Ou seja, milhares de pessoas estão pesquisando online sobre maneiras de se matarem". 

- Ibid.


Alguns pesquisadores também argumentam que a série pode ter um impacto negativo em alguns adolescentes com problemas de saúde mental já existentes.


"Olhando pelo ponto de vista da prevenção, é preocupante quando um jovem já tem um pré-histórico ou um problema de saúde mental existente como ansiedade, depressão e, para um grupo menor, doenças psicóticas", disse Schwartz, acrescentando que tais doenças são fatores de risco para comportamento suicida. "Se um jovem tiver uma história de problemas graves de saúde mental ou de substâncias, então, obviamente, isso acrescenta uma camada de vulnerabilidade ao consumir mídia sobre suicídio", disse ele. 

- Ibid.


Em suma, Selena Gomez está no comando de um programa que promove um fascínio insalubre pelo suicídio nas mentes dos jovens. Alguns argumentam que a série é para "aumentar a conscientização" sobre o suicídio, não glamorizá-lo. Se for esse o caso, por que a produtora executiva da série, Selena Gomez, aparece em um vídeo de música sexy onde ela se mutila? Isso não é glamorizar o suicídio? Aqueles que orientam e financiam a cultura pop parecem estar inclinados a degradar e desmoralizar a juventude. Como resultado, a cultura pop está deprimente, promove a autodestruição e ajuda a criar uma geração de humanos doentes, degradados e vulneráveis. 

Fetish

Em "Fetish", Selena aparece completamente "fora de si". Ela está usando drogas? Ela está mentalmente doente? Ela está sob controle mental? Ela está "possuída pelo diabo"? Tudo isso junto? Quem sabe. Uma coisa é certa, ela não está bem.

O vídeo começa com uma bela imagem de um céu de verão com pássaros cantando. De repente, esta imagem pisca na tela:

Um rápido flash do rosto de Selena. Algo não está certo, como se alguma 
coisa ruim estivesse acontecendo com ela. É uma cena típica de "flash 
rápido" que faz o cérebro ficar subconscientemente perturbado.

Em seguida, vemos Selena caminhando em direção a um carro destruído.

Essa cena é uma forma de simbolizar o próprio estado mental "destruído" de Selena? Porque, como podemos ver acima, ela não está bem.

Dentro da casa, Selena perambula em direção à cozinha, joga todas as compras que ela acabou de comprar no chão e começa a rolar sobre elas. Sim, algo não está certo com ela.

Por que você está no chão, Selena? Além disso,
 você quebrou os ovos que estavam perfeitos. 

Enquanto isso, Selena canta sobre ser a obsessão sexual de alguém - alguém que é muito forte. Temos a sensação de que ela não tem controle sobre a situação.


"Você tem um fetiche pelo meu amor
Eu empurro para fora e você vem logo de volta
Não vejo porque culpar você
Se eu fosse você, eu também faria comigo"


As últimas linhas, "Não vejo porque culpá-lo, Se eu fosse você, eu também faria comigo", é uma reminiscência da Síndrome de Estocolmo, onde um cativo simpatiza com seu raptor: 


"Sentimentos de confiança ou afeto sentidos em certos casos de sequestro por reféns e vítimas em relação a seu raptor".


Outro trecho da música refere-se ao mesmo conceito:


Não estou surpresa
Eu simpatizo, ah
Não posso negar
Seu apetite, ah


Durante o vídeo, Selena nunca canta a ninguém. Em vez disso, ela olha para o céu e aparentemente canta para o sol.

Selena gasta muito tempo cantando para o sol ardente. A sombra 
de sua mão esconde um olho - perfeitamente fazendo um sinal do "um olho"
 (o sinal que as estrelas pop fazem para exibir sua submissão à elite oculta).

Mais "um olho" em ação.

Será que a música é na verdade sobre a elite dominando sexualmente Selena Gomez? Porque ela não está cantando para uma pessoa, mas para o "olho no céu". Além disso, porque a maioria das estrelas estrelas Disney acabam sendo Beta Kittens (leia mais sobre isso aqui).

Enquanto Selena anda pela sala de jantar, há um quadro 
de um gatinho. Isso se refere à programação Beta Kitten?

Selena rasga suas meias com um olhar demente no rosto. Como de costume,
 Selena está vestida para se parecer uma menina "sexy" de 14 anos de idade.

Uma coisa certa é que esse "fetiche" parece estar levando Selena ao ponto de autodestruição. Aqui estão exemplos de auto-mutilação que ela inflige sobre si mesma. Tenha em mente que uma grande porcentagem de seus fãs a conhece do Disney Channel.

Ela tira um pedaço de vidro quebrado e o come. Em caso de 
você não saber, fazer isso dói muito e faz sua boca sangrar. 

Selena amarra sua língua com uma corda. Literalmente, sua 
"língua está amarrada". Além disso, trata-se de uma verdadeira
 técnica de tortura que dispara o reflexo de gag.

Selena suprime sua língua usando um encrespador de cílios. 
Ela não aparece gostar de sua língua. Ela, como muitos peões 
da indústria antes dela, perdeu a habilidade de falar?

Selena pega uma barra de sabão e come. Ela está fazendo
 isso porque ela se odeia? Ela está sendo mandada fazer isso? 
Por que você está comendo sabão, Selena?

Os comportamentos exibidos por Selena nesse vídeo são sintomas reais de depressão, baixa auto-estima, ódio a si mesmo e até tendências suicidas. Considerando as letras, também pode-se adicionar à lista o uso do sexo, até mesmo do sexo degradante, como forma de obter validação. Eu não sou um psicólogo e não estou prestes a dar um diagnóstico específico, mas posso dizer com segurança que nesse vídeo ela não está bem.

Esse é o tipo de porcaria que é transmitida como "entretenimento" hoje em dia. Músicas sobre estar de mãos dadas com o seu amor ou estar apaixonado? NÃO. Músicas sobre como ser usado como objeto sexual enquanto se tortura? SIM.

Enquanto isso, Selena continua se torturarando.

Selena, contorcendo-se dentro de uma freezer industrial, 
fazendo o melhor para obter hipotermia. Saia do chão, Selena!

Esta menina não está bem!

Conclusão

Infelizmente, "Fetish" é um produto típico da cultura pop de hoje. O vídeo é estranhamente deprimente, deixa os telespectadores com uma intuição de que eles testemunharam algo errado, e mistura conceitos de autodestruição com sexualidade... tudo embrulhado em um pacote "sexy" e comercializado para jovens que ainda estão aprendendo sobre o amor, sobre sexualidade e relações.

Selena Gomez também está diretamente envolvida com uma série que comercializa suicídio para jovens que ainda estão aprendendo sobre o que é a vida. Por que ela está associada a essa nojeira? Será que Selena é realmente a mente por trás de uma série que teve um impacto tão poderoso nos cérebros dos telespectadores, que até mesmo esteve cientificamente ligada a pesquisas na web sobre como se suicidar? Ou, talvez, ela é simplesmente um rosto "amigável para crianças" associado a esses projetos como uma forma de marketing para o público principal?

"Fetish" e "13 Porquês" são semelhantes de várias maneiras: são segmentos do "entretenimento" que são cuidadosamente criados para colocar as pessoas em um clima específico e fazê-las contemplar ideias específicas. Isso não é arte. É condicionamento mental.

A cultura pop é doentia porque ela é desenvolvida intencionalmente para criar uma geração doentia. As pessoas que no controle querem que o público esteja ansioso, confuso, deprimido e autodestrutivo. Por quê? Porque, isso torna esse público mais fácil de controlar. Qual é a melhor maneira de vender isso? Associe-o ao sexo e diga que é apenas um "fetiche".

Fonte: VC

Veja Mais